Fluxo de Caixa – O que é? Como Fazer? Onde baixar a Planilha? E, o que fazer se estiver no vermelho?

Tempo de leitura: 6 minutos

 

fluxo-de-caixa

Fluxo de Caixa



Entre as funções de um bom gestor a gestão do fluxo de caixa do negócio é sem dúvida nenhuma a mais importante para o negócio.

Isto quer dizer que grande parte do seu tempo deverá ser destinado a desenvolver e acompanhar as atividades que são chaves para a empresa, sobretudo em como comprar (insumos e produtos) e como vender, formas de parcelamentos e inclusive entender se aquela negociação com fornecedores ou clientes
deverá ou não ser realizada.

- O que é?

De acordo com Assaf Neto, o fluxo de caixa é o instrumento de relacionamento da entradas e saídas de recursos financeiros das empresas em determinado intervalo de tempo. Sua elaboração permite prever eventuais falta ou excesso de recursos.

Desta forma, para resumir, o fluxo de Caixa é composto pelas entradas e saídas de dinheiro distribuídos em um determinado período de tempo que apresenta um resultado financeiro positivo ou negativo.

- Que informações vou obter com o fluxo de caixa?

Você poderá extrair informações como a evolução das entradas e saídas de caixa da empresa e analisar em que momento a empresa atingirá o ponto de equilibro.

As informações permitiram ainda que o empreendedor estime receitas, custos, despesas, gastos,
tributos e impostos que a empresa terá no futuro.

- Como fazer?

Você deve começar fazendo uma planilha, que pode ser no Excel, Google planilhas ou à moda antiga no papel e caneta, onde você fará os apontamentos dos recebimentos agendados.

Além das previsões para os próximos períodos com base na sua experiência e tendências observadas.

A mesma coisa deverá ser feita para as suas despesas (contas a pagar) já agendadas, além das previsões de despesas à pagar para os próximos períodos;

Um fluxo de caixa deve ter no mínimo dois Grupos:  Recebimentos e Pagamentos e um resultado;  Mas, você pode melhorar sua planilha criando sub grupos, como (dentro de Pagamentos) - Fornecedores Diversos, Mão de Obra, Matérias Primas/Produtos para revenda, Impostos.

  • 1 - Recebimento
  •     1.1 Venda de produtos
  •     1.1 Serviços prestados
  • 2 - Pagamentos
  •    2.1 - Fornecedores
  •    2.2 - Mão de Obra
  •    2.3 - Impostos

    Saldo (Recebimento - pagamento)



Agora que já definiu quais itens básicos controlar, basta colocar na frente de cada um, para cada dia, mês ou ano, dependendo de sua necessidade e horizonte, o valor previsto,  para assim ter o valor de saldo, se positivo ou negativo para cada período.

- Posso Baixar aqui um modelo inicial?

fluxo-de-caixa

Sim, Aqui mesmo no blog temos alguns artigos que tratam deste assunto fluxo de caixa, que é inclusive tema de um capítulo do meu e-book, 9 dicas de como Gerenciar uma empresa;

De todo modo disponibilizo junto com este artigo a planilha base de fluxo de caixa, para você começar  a controlar as entradas e saídas financeiras (realizadas e previstas) e detenha o controle do seu fluxo de caixa o quanto antes.

- Que estratégia tomar frente a uma situação grave de fluxo de caixa negativo?

Há momentos em que os gestores, por falta de conhecimento se deparam com um fluxo de caixa negativo e com uma tendência de piora e que com certeza levará a empresa a desastrosa consequência. O que fazer em uma situação assim? Que atitude deve ser tomada para sanar o problema e reverter a situação, colocando a empresa novamente nos trilhos?

Trago aqui abaixo, dica de um Expert no assunto, Bejamim Young, que é especialista em Restruturação financeira de empresas. Algumas de suas dicas já implementei em alguns clientes e com certeza foram o diferencial na consultoria prestada a meus clientes.

Sugestões Estratégicas para um momento de dificuldade no fluxo de Caixa:

O primeiro passo a ser dado é criar, em conjunto com a equipe de gestão, um plano de ação emergencial, englobando de 30 a 90 dias. Nesse momento, o foco deve ser maximizar a posição de caixa de curto prazo da empresa. É durante esse período crítico que as estratégias visando ao equilíbrio financeiro são desenvolvidas.

Para que o resultado seja efetivamente alcançado, é necessário identificar e aumentar as fontes de geração de receitas, além de reduzir todos os custos ao seu mínimo absoluto. Liquidação de estoques, aperfeiçoamento do contas a receber e venda de ativos não operacionais, quando aplicável, são exemplos de ações que os gestores devem executar nessa fase da recuperação.

Considerado o desequilíbrio no fluxo de caixa da empresa, outra medida que não deve poupar esforços envolve a redução de custos e despesas. Isso implica até mesmo na redução da folha de pagamento, respeitando o mínimo necessário que evite afetar a missão da empresa. É preciso ressaltar, porém, que, embora possível, no Brasil, esse tipo de medida é bastante complexa, vis-à-vis as restrições das leis trabalhistas e a força dos sindicatos laborais.

Outra medida crucial envolve a gestão diária de pagamentos; estes devem ser pormenorizados em reuniões diárias, onde são direcionados apenas aos credores que contribuírem diretamente com receita, quais sejam, fornecedores de matéria-prima. Adicionalmente, há a necessidade de negociar intensamente com os demais credores, de modo a demonstrar total transparência com a situação, bem como assegurando o pagamento futuro do crédito remanescente.

Integradas, essas medidas trazem estabilidade ao fluxo de caixa no curto prazo. Apenas após a superação desse obstáculo os gestores estarão aptos a focar em questões mais estratégicas, no intuito de assegurar o sucesso da empresa no longo prazo.

- Estoque inteligente melhora seu fluxo de caixa!

Na maioria das empresas, o estoque não recebe a importância que deveria e, em vez de gerar receitas, ele acaba sendo uma fonte de custos. Toda empresa, independentemente do seu porte, precisa ter o controle do seu estoque de produtos. Isso permite que o gestor tome decisões para evitar prejuízos.

Quando se tem um estoque bem controlado, é possível saber a quantidade e a hora certa de comprar para suprir os seus produtos de acordo com a demanda. Assim, é possível investir e gerenciar os gastos e investimentos no fluxo de caixa com base no estoque.

Espero que você também tenha em mente  que além dessas e outras medidas é também necessário que você negocie melhores prazos com seus fornecedores para que consiga ter um bom giro do seu produto e assim receba suas vendas com folga para realizar os pagamentos dos produtos.

- Tenha uma provisão de margem de segurança

Imprevistos podem acontecer a qualquer momento, e na sua previsão de fluxo de caixa é fundamental que você defina um % para este fim.

Isso é o que eu queria trazer hoje para você, espero sinceramente que estas dicas possam ajudar a implementar um excelente controle do fluxo de caixa da empresa.

Veja também estes artigos:

Caso haja alguma dúvida ou contribuição a fazer, deixe nos comentários que terei prazer em responder.

Até o próximo!

Luiz Augusto Lustoza